Manutenção: Saiba tudo sobre o escapamento do seu carro

O sistema de escapamento geralmente só é lembrado quando apresenta o incômodo ruído, característico de componentes avariados por desgaste, corrosão ou danos causados por quebra-molas elevados, valetas, etc. Bem mais do que fazer a diminuição do ruído, o escapamento ainda tem de atender aos requisitos de desempenho e rendimento do veículo, controle de emissão de poluentes, e ainda conduzir para longe da cabine os gases tóxicos resultantes do processo de combustão.

Mais do que os conhecidos “Silenciosos” o escapamento também é constituído por coletor, tubos, catalisadores, os silenciosos, e em alguns caos, Válvula EGR . Veremos a seguir o papel de cada componente.

As peças do escapamento

O sistema de escapamento é composto pelas seguintes peças:

– Coletor de escape

Essa peça fica acoplada ao motor e é formada por um conjunto de tubos de ferro fundido. Sua finalidade é coletar os gases resultantes da queima de combustível e encaminhá-los para o tubo de descarga primário, conhecido também por silencioso.

– Tubos de escape
Fazem a ligação entre os demais componentes do sistema.

– Silencioso ou silenciador
Câmara dotada de várias divisões internas por onde passam os gases. Ao passar por esse percurso, as ondas sonoras do ruído perdem pressão e esse processo resulta na redução do barulho gerado pelo funcionamento do motor. Em sua composição também podem estar a lã de vidro ou o basalto.

– Catalisador
É um dispositivo instalado na saída do coletor de escape ou entre o coletor e o silencioso. Sua função é transformar substâncias poluentes, por meio de seus elementos internos de cerâmica, em gases menos nocivos à atmosfera. Ou seja, purificar os gases poluentes com reações químicas.

– Abafador
É o silenciador auxiliar, encarregado de absorver os ruídos mais agudos. Em sua composição também podem estar a lã de vidro e o basalto. Essa peça conta com tubos repletos de pequenos furos e envolve o corpo do escape. No sistema conhecido como refletivo, não existe a presença de lã de vidro. Esse sistema conta com três divisões no seu interior, que configuram uma espécie de labirinto formado por defletores. Ao jogar os gases de uma divisão para outra, o nível de ruído e também as vibrações diminuem por causa do choque das ondas sonoras nas paredes internas do abafador. Trabalha em outra frequência, diferente do silenciador. Geralmente é o ultimo elemento sistema de escapamento no automóvel.

Dicas de manuteção

Para garantir que o sistema de escapamento de carro estará sempre com sua máxima eficácia, alguns cuidados devem ser observados:

– Sempre que possível, verifique os fixadores e abraçadeiras;

– Faça inspeções a cada 3 meses;

– Faça a revisão completa a cada seis meses ou a cada 20 mil quilômetros;

– Se alguma peça do sistema apresentar defeito, estiver corroída ou com falhas, o único conserto é a troca;

– Cuidado ao passar por lombadas ou obstáculos elevados, pontiagudos ou soltos na estrada, como por exemplo um galho de árvore, pois o escapamento pode ser atingido e ficar danificado;

– Evite fazer o carro pegar no tranco. Essa prática pode deixar a gasolina que não foi queimada escorrer pelo sistema de escapamento e isso pode danificá-lo.

Outras dicas

O catalisador é um componente que funciona em altíssimas temperaturas, como algo em torno de 700º Celsius. Sabendo disso, quando for estacionar o veículo evite parar sobre grama, folhas secas, papel ou mesmo lixo da rua. Esses materiais são inflamáveis e facilmente pode-se causar um princípio de incêndio.

Fique atento

O CTB (Código de Trânsito Brasileiro) define penalidades ao motorista que transitar com o escapamento do carro irregular, soltando fumaça ou gases fora da regulamentação estabelecida. Essa prática é enquadrada em infração grave, que resulta na perda de 5 pontos na Carteira de Habilitação, pagamento de multa e retenção do veículo até que o problema seja resolvido.

O blog do Guia3Lagoas indica a empresa JR Escapamentos em Três Lagoas.